Segunda Etapa Enem 2018

A primeira parte do Enem 2018 aconteceu no domingo, dia 07 de Novembro de 2018 de 13h ás 19h do horário da capital brasileira Brasília em todo o Brasil.

A primeira etapa da prova teve 45 questões de português e suas tecnologias, 45 questões de humanas e suas tecnologias e também a redação que teve como tema desse ano  “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

A próxima etapa da prova será no domingo, dia 11 de Novembro e o caderno do segundo dia de avaliação do Enem irá conter 45 questões de matemática e 45 de ciências da natureza como biologia, física e química.

Segunda Etapa Enem 2018

Como a segunda etapa do Enem requer bastante atenção dos participantes, o governo disponibilizou um tempo adicional de 30 minutos para quem estiver fazendo a prova terminar.

Mas ai entra em questão o famoso “chute”, alguns dos participantes não conseguem terminar a prova dentro do tempo determinado, ou “chutam” algumas questões dentro da prova e conseguem terminar a prova no tempo desejado.

Para o professor e coordenador dos processos seletivos do Insper, Tadeu da Ponte, as provas utilizam uma metodologia para “rastrear os chutes”, que se chama TRI (Teoria de Resposta ao Item).

Esse sistema detecta em quais momentos os participantes podem chutar. “No fundo, a TRI serve para a gente fazer o processo da maneira mais justa possível. Fazer com que a proficiência observada de cada aluno seja a mais próxima possível da verdade, a que está dentro dele”, disse Tadeu.

Resultado de imagem para enemFoto: Terra

A prova do Enem é feita sobre a base de níveis, que variam de questão para questão diz o professor “”Então as 45 questões do Enem são questões de nível 400, de nível 500, de nível 410, de nível 600. O mais importante é que tenham questões distribuídas ao longo de cada escala”.

O Enem de acordo com o nível de acertos e correção das questões faz a distribuição de pontos finais para os candidatos. Se um aluno acerta uma questão de nível 500 é mais fácil ele acertar a questão de 400 do que acertar a questão de 600, e isso pode influenciar na distribuição de pontos do candidato.

“Posso conseguir acertar uma questão que está muito acima da minha proficiência máxima. É como se eu conseguisse fazer uma mágica e dar um salto muito alto no entanto, quando você olha a frequência com que isso acontece, é muito pequena”, comenta Tadeu da Ponte.

Então quando o Enem detecta um aluno que acerta mais questões fáceis, a nota dele será menor do que um outro aluno que acertou mais questões difíceis.

O especialista fala se compensa ou não chutar na prova do Enem: “É melhor chutar do que não chutar? Sim. Deixar em branco automaticamente é erro. Isso pode me prejudicar pouco, mas não me ajuda nada. Mas se chutar e acertar me ajuda um pouquinho.”

Emanuel Pereira

Emanuel Pereira

Nasci em Minas Gerais, sou estudante, redator, blogueiro e faço teatro. Colaboro com minhas ideias e pensamentos no âmbito da política, esporte e entretenimento, buscando informações verídicas sobre os fatos, citando sempre aquilo que está mais em alta no Brasil e também em outros países...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *